Dr. Paulo Piccoli | CRM 13.124
Dr. Paulo Piccoli
Áreas de Atuação | Traumatologia do Esporte | Traumas do Joelho | Ortopedia | Artroplastia Convênios Dr. Piccoli Artigos Dr. Piccoli
Casos Clínicos Dr. Piccoli

ortopedia

Rua Leopoldo Bier, 825 - Sala 401
Bairro Santana | Porto Alegre / RS
Fones: (51) 3217-5500 | (51) 3219-2273

LESÕES DO LIGAMENTO CRUZADO ANTERIOR DO JOELHO

As lesões em joelhos de atletas são muito comuns e causam muitas dúvidas e ansiedade no momento que ocorrem. As perguntas mais frequentes são porque ocorreram, como tratar e retorno ao esporte.
Vamos falar especificamente da lesão do ligamento cruzado anterior (LCA) do joelho, que pode acometer atletas de vários esportes, sendo mais comum no futebol, judô, voleibol, handebol e agora mais frequentemente, com aumento das facilidades para viagens ao exterior, esqui na neve. Na prática do tênis é muito rara, mas vários tenistas sofrem esta lesão na prática de outros esportes.
O LCA é um ligamento que está posicionado dentro do joelho, ligando fêmur e tíbia, numa posição central e mais anterior, tendo por trás dele outro ligamento chamado cruzado posterior (LCP), em situação de cruzamento em xis, justificando os nomes cruzados. A ruptura do LCA é muito mais frequente, sendo que lesões do LCP raramente ocorrem na prática desportiva, geralmente em acidentes de trânsito com motocicletas.
Não existem, ainda comprovados cientificamente, fatores que predisponham um atleta para lesões do LCA. O mecanismo da ruptura está sempre relacionado à entorse do joelho com o pé fixo ao solo, no momento do giro do corpo ou queda após salto. Raramente ocorre por trauma direto. O atleta em geral relata ouvir um estalo e dor aguda, como se o joelho ¨deslocasse para fora do lugar¨. Passadas algumas horas há melhora da dor, mas pode ocorrer inchaço e/ou derrame articular (¨água no joelho¨). Podem ocorrer lesões associadas como lesão dos ligamentos periféricos, meniscos e cartilagem articular, inclusive com fraturas.
Após cuidadoso exame físico realizado por Ortopedista, preferencialmente com experiência em traumatologia desportiva, deve-se realizar exames de imagem, como Raio-x e Ressonância Magnética.
Feito o diagnóstico de ruptura do LCA em joelho, deve-se instituir o tratamento. Atualmente é consenso entre os Ortopedistas que um atleta que pratica esportes com movimentos de pivô com joelhos, saltos e mudança brusca de direção em corridas, somente poderá retornar a praticá-lo após reconstrução cirúrgica do LCA. Por quê? Porque a ruptura do LCA deixa o joelho frouxo, com sensação de falseio a qualquer pequeno giro, além de, pela instabilidade, levar a rupturas meniscais, lesões da cartilagem articular e artrose precoce.
No mundo inteiro são usadas duas técnicas cirúrgicas para reconstrução do LCA, ambas realizadas por videoartroscopia. A técnica chamada reconstrução com tendões flexores usa enxerto dos tendões músculos semitendineo e gracilis e a outra, chamada osso-tendão-osso, usa enxerto do tendão patelar. Ambas apresentam excelentes resultados, sendo que cabe ao Ortopedista escolher, conforme sua experiência.
Em média, o atleta estará liberado para retornar ao esporte em 06 meses, mas desde o primeiro dia de pós-operatório, que em geral não usa nenhum tipo de imobilização, já inicia exercícios de recuperação funcional e muscular, com acompanhamento fisioterápico intensivo. Dependendo da recuperação, estes prazos podem ser diminuídos, principalmente em atletas profissionais.
 
 
Rua Leopoldo Bier, 825 - Sala 401 | Bairro Santana | Porto Alegre / RS
Fones: (51) 3217-5500 | (51) 3219-2273